Cortez (Hérson Capri) sofrerá um golpe aplicado pela própria mulher, Natalie (Deborah Secco), quando estiver na cadeia. É que, com todas as suas contas no Brasil congeladas ele não poderá oferecer a ela os mesmo confortos materiais. Ela vai descobrir que ele tem um cofre escondido em casa. E - muito menos boba do que parece - tentará várias senhas até conseguir abri-lo e achar lá dentro as joias de Clarisse (Ana Beatriz Nogueira) e US$ 100 mil.


Tudo começará com uma visita de Wagner à prisão. Ele pedirá a Cortez que acerte seus honorários. O banqueiro, arrogante, pedirá calma, dizendo que não pode pagar o que deve imediatamente. Porém, deixará escapar que tem dinheiro não apenas no exterior, mas "escondido em casa". O advogado contará tudo a Natalie.

Com a ajuda de Roni (Leonardo Miggiorin), ela conseguirá achar o cofre que nem a polícia - quando tiver revistado a mansão - terá encontrado. Eles tentarão várias senhas sem sucesso. Até que Roni será iluminado por uma ideia e dirá:


- Raciocina e me diz: qual é a coisa de que o Cortez mais gosta no mundo?


E Natalie
- De mim, claro.


Roni
— Ai, que iludida! Ô tolinha, desculpe te decepcionar, mas você deve estar em terceiro. A segunda, eu sei que é dinheiro. E a primeira coisa que ele mais ama no mundo é... a si mesmo. Então, eu afirmo que a senha é Cortez, o nome mais importante do universo!


Resolvido o enigma: a senha será composta dos números correspondentes às letras da tecla de um telefone celular: C, 2. O, 6. R, 7. T, 8. E, 3. Z, 9. Natalie e Roni vão achar o tesouro.