O príncipe Albert II de Mônaco e Charlene Wittstock, um dia após o casamento civil, voltaram neste sábado a dizer o "sim", desta vez em cerimônia religiosa realizada no pátio de honra do Palácio do Principado.






Charlene de Mônaco,  com um vestido de noiva cor marfim do italiano Giorgio Armani, entrou  no Palácio ao lado do pai Michael Kenneth Wittstock. O vestido de noiva de Charlene tem 40.000 cristais Swarovski e um véu de 20 metros.
 
A música corre a cargo da Orquestra Filarmônica e do Coro da Ópera de Monte-Carlo, com a participação, além da sul-africana Pumeza Matshikiza, do tenor peruano Juan Diego Flórez, do italiano Andrea Bocelli e da soprano americana Renée Fleming.

O pátio de honra se transformou excepcionalmente em uma igreja "ao ar livre", com mobília da capela do Palácio e cadeiras dispostas em semicírculo em frente à imponente escadaria de mármore de Carrara.








Ao término da cerimônia religiosa, o casal fará o percurso nupcial em um automóvel conversível até a Igreja de Santa Devota, patrona de Mônaco, na qual a princesa, da mesma forma que fez a falecida Grace Kelly após seu casamento com Rainier III em 1956, depositará seu buquê. 

Charlene se converteu ao catolicismo para se casar com Albert II, como exige a Constituição do segundo menor Estado do mundo, atrás apenas do Vaticano.