David Feeney em seu quintal com seu cão, Lucky, e sua nova cadeira de rodas
David Feeney em seu quintal com seu cão, Lucky, e sua nova cadeira de rodas
Após a “cadeiras de rodas” de um cão com deficiência ter sido roubada do jardim da casa de seu tutor, em West Roxbury, uma empresa sediada em New Hampshire, nos EUA, que auxilia animais deficientes e feridos,  doou uma nova cadeira para o cão.
“O desastre que aconteceu se tornou agora uma experiência maravilhosa”, disse David Feeney, tutor de Lucky, de 12 anos. “Foi impressionante o apoio que deram.”
Segundo informações do jornal Boston.com, Feeney, 63, acredita que a cadeira de rodas de seu amado cachorro foi roubada da frente da sua casa em Temple Street, West Roxbury, após Lucky sair para brincar sem o carrinho, como faz normalmente. A cadeira de rodas eleva as patas traseiras do cão.
“Alguém deve ter pego ela rapidamente”, disse ele. “Não sei por que isso aconteceu.”
Percebendo, no final da tarde, que o carrinho havia desaparecido, o tutor chamou a polícia, que o ajudou a procurar pelo bairro com um refletor.
“Eles foram fantásticos, muito solidários”, disse ele sobre a polícia. Mas, a cadeira estava longe de ser encontrada, e Feeney disse que não acredita que a polícia tenha tipo qualquer progresso em encontrá-la.
Após ouvir a história da cadeira roubada, que foi primeiramente relatada por WBZ-TV, a HandicappedPets.com doou uma cadeira a Lucky, que é incapaz de usar suas pernas para manter-se em pé. A empresa acomodou Lucky em uma nova e  totalmente ajustável cadeira. Esse tipo de cadeira pode custar entre 400 e 500 dólares, disse a empresa.
“Nós queríamos fazer alguma coisa que pudesse corrigir um erro”, disse a porta-voz HandicappedPets.com, Lisa-Marie Mulkern, que disse que a empresa foi informada do roubo da cadeira de Lucky  por um ex-cliente de Jacksonville, na Flórida, que telefonou depois de ver a reportagem.
Feeney disse que para fazer a cadeira antiga de Lucky, ele teve um gasto de apenas  US$ 100 a menos do que sua renda mensal de aposentadoria que é de US$ 638.
Mulkern acrescentou que as cadeiras sob medida muitas vezes levam de duas a três semanas para serem produzidas.
“Certamente não parecia que alguém estava disposto a devolver a cadeira de Lucky e nós não queríamos que ele tivesse que esperar muito tempo”, disse ela.
Feeney, um nativo de Boston, resgatou Lucky vários anos atrás, enquanto era professor e fazia um  trabalho humanitário em Bogotá, Colômbia. O cachorro tinha sido atropelado por um carro.
“Ele estava deitado, morrendo na rua. Ninguém queria ajudá-lo “, disse Feeney lembrando como o porteiro de seu apartamento lhe disse para não se preocupar com o cão, que os lixeiros levariam o animal embora na manhã seguinte.
Após vários veterinários terem recusado tratar de Lucky, Feeney disse que ele era capaz de encontrar alguém para cuidar dele.
O cão tinha uma hemorragia interna grave. “Ele poderia ter morrido durante a noite,” disse Feeney.
Mas, o resiliente cão se superou e se tornou o melhor amigo de Feeney, viajando com seu tutor para outros países onde Feeney continuou seus esforços humanitários, incluindo a Guatemala e o México.
“Ele trouxe muita alegria e felicidade para muitas crianças tristes nesses locais,” Feeney disse por telefone segunda-feira. “Ele tem sido a luz da minha vida.”
Lucky foi capaz de andar e até correr por um tempo depois de ser atingido pelo carro, mas por conta das lesões, teve que passar por cirurgias que o deixou imobilizado.
“Para mim está tudo bem”, disse Feeney sobre a deficiência do seu cão. “Contanto que ele esteja vivo é o que importa. Eu o amo. ”
O tutor disse que Lucky também é um sobrevivente do câncer e que, provavelmente, foi maltratado antes de ser resgatado.
Feeney disse que ele nasceu sem ter um lar e cresceu em situação de extrema pobreza, antes de ingressar no Exército, o que lhe permitiu mais tarde estudar na Boston State College. Feeney agora está trabalhando para estabelecer um fundo para ajudar o seu trabalho de ajuda humanitária.

Fonte: ANDA