No domingo, Marta deixou a Arena Allerpark, em Wolfsburg (ALE), com uma atuação de encher os olhos.

Passada a euforia da vitória sobre a Noruega por 3 a 0 e a classificação para as quartas de final do Mundial Feminino, o time verde amarelo não cansa de render tributo à Rainha.
“Graças a Deus a Marta é brasileira e faz parte da nossa Seleção. Ela tem os pés no chão, é humilde e ainda assim é genial. Ela é modesta fora de campo, muito unida com as companheiras e tem uma boa relação com as mais jovens”, elogiou o treinador Kleiton Lima.

Eleita como melhor jogadora do mundo durante cinco anos consecutivos, Marta driblou, pedalou, correu, deu assistências e colocou duas bolas na rede da Noruega.

A Rainha arrasta uma legião de fãs a cada partida. No entanto, o sucesso não faz a cabeça da camisa 10, que reconhece a atuação tímida na estreia, contra a Austrália.

“Jogamos melhor do que na estreia. A nossa defesa teve um grande papel no resultado, não deixando as norueguesas entrarem e mandando a bola ao setor ofensivo o mais rápido possível. Agora, estamos em uma situação mais tranquila para a segunda fase. A expectativa em relação à seleção brasileira e ao futebol que mostramos é sempre grande”, afirmou.